Fortacin

Dúvidas? Nós ajudamos!

A ejaculação precoce é uma disfunção sexual masculina, que pode afetar qualquer homem, sendo até, a disfunção masculina mais comum no mundo. Esta condição caracteriza-se por uma ejaculação que ocorre durante uma relação sexual antes do tempo desejado, dentro de 1-3 minutos após a penetração vaginal.2-3

A ejaculação precoce é a “incapacidade de controlar a ejaculação o tempo suficiente para que ambos os parceiros possam disfrutar da interação sexual”2

Os fatores principais que derivam da definição:4
  • A ejaculação ocorre antes do casal desejar;
  • Falta de controle sobre o reflexo ejaculatório;
  • Falta de controle sobre o reflexo ejaculatório;
  • A sensação de desconforto gerada pela perturbação e que está relacionada com a autoconfiança e o relacionamento.
A ejaculação é controlada pelo sistema nervoso central. Quando os homens são estimulados sexualmente, são enviados sinais para a medula espinal e cérebro. Ao atingirem um certo nível de excitação, são enviados sinais do cérebro para os órgãos reprodutivos, levando a que o sémen seja expelido ou ejetado através do pénis.5

Fases da ejaculação

A ejaculação é subdividida em duas fases:5
  • Emissão: A expulsão ocorre quando o esperma se desloca dos testículos para a próstata e se mistura com o líquido seminal, dando origem ao sémen. O sémen anteriormente formado desloca-se para a base do pénis.
  • Expulsão: A expulsão é quando os músculos da base do pénis se contraem, forçando o sémen para fora do pénis. Na maioria das vezes a ejaculação e o orgasmo acontecem ao mesmo tempo.
Fig. 1 Sistema reprodutivo masculino

A resposta sexual tem várias fases distintas: desejo, excitação, plateau (fase alta e estável de excitação), fase de orgasmo e resolução ou período refratário. As fases representam momentos de resposta sexual numa progressão linear, caracterizada por alterações psíquicas e perceptivas, estritamente acompanhadas de mudanças físicas.6

Curva de resposta sexual num indivíduo normal e num com ejaculação precoce.7

Fig. 2 Curva de resposta sexual7

A resposta sexual normal, nos homens, é uma sequência que começa com a estimulação sexual e termina com a ejaculação. Todas as fases dessa sequência ocorrem muito mais rapidamente em homens que sofrem de ejaculação precoce.7

Quanto tempo demora em média um homem a ejacular?

Em média, um homem adulto demora entre 5 a 7 minutos a atingir um orgasmo e ejacular, no entanto, o intervalo global é amplo, podendo ir de menos de um minuto a mais de meia hora.8

A ejaculação precoce pode acontecer em qualquer idade, no entanto o envelhecimento causa alterações nas ereções e ejaculações. Um homem mais velho pode experienciar ereções mais curtas e a sensação de que a ejaculação está iminente mais rapidamente.8 Estas alterações podem levar a que o tempo, em média, que um homem demora a ejacular seja reduzido.5

“Os homens tendem a sobrestimar o tempo real que levam a ejacular entre ¼ a meia hora.”8
Apesar das várias investigações feitas ao longo dos anos, ainda não é conhecida a causa da ejaculação precoce, no entanto existem diversas questões associadas a esta disfunção.5

Fatores Fisiológicos:
  • Reduzidas quantidades de serotonina: A serotonina é uma substância natural no corpo, produzida por nervos. Quantidades elevadas de serotonina no cérebro
    aumentam o tempo até à ejaculação; quantidades reduzidas podem encurtar o tempo e levar à ejaculação precoce.5
  • Pénis hipersensível;8
  • Alteração na forma como os nervos e as hormonas interagem;8
Fatores Psicológicos:5
Problemas psicológicos, ou de saúde mental, também têm um papel relevante na ejaculação precoce. Podem ser:
  • Depressão;
  • Stress;
  • Culpabilidade;
  • Expectativas irrealistas sobre o desempenho sexual;
  • História de repressão sexual;
  • Falta de confiança;
  • Problemas de relacionamento;
  • Problemas emocionais
Fatores por fármacos e estupefacientes:4
  • Anfetaminas;
  • Agonistas da dopamina
  • Uso de estupefacientes.
A incapacidade de retardar a ejaculação em todas ou quase todas as penetrações vaginais, resulta em consequências negativas. Alguns dos sintomas da ejaculação precoce são:2
  • Angústia;
  • Incómodo;
  • Frustração;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Baixa autoestima;
  • Evitar intimidade sexual.
Quando se suspeita de uma forma de ejaculação precoce, é particularmente útil, para o paciente, preencher um questionário de auto-avaliação validado, chamado PEDT (Premature Ejaculation Diagnostic Tool ou Ferramenta de Diagnóstico da Ejaculação Precoce). Este questionário permite identificar aqueles que podem ter problemas de ejaculação precoce durante uma relação sexual.9
Existem diferentes tipos de ejaculação precoce. A ejaculação precoce é dividida em duas categorias distintas:10
  • Ejaculação Precoce Primária (ao longo da vida): Quando a ejaculação precoce ocorre repetidamente em todas ou quase todas as relações sexuais, independentemente do(s) parceiro(s); desde o primeiro relacionamento; na maioria dos casos (90%), dura em média entre 30 segundos e 2 minutos após penetração. Este tipo de ejaculação permanece ao longo da vida e tende a agravar-se com a idade.
  • Ejaculação Precoce Secundária (adquirida): Ejaculação rápida que começa a acontecer em determinada fase/ ponto/acontecimento da vida, em homens que até à data não apresentavam sinais de ejaculação precoce; pode iniciar-se de forma súbita ou gradual; diminuindo a capacidade de retardar a ejaculação.
É normal o homem perder o controlo sobre a ejaculação ocasionalmente, não significa que haja um problema sexual.

Caso seja a primeira vez que tem relações sexuais ou se não ejacula há muito tempo, é normal a perda ocasional do controlo e a ejaculação prematura.
Alguns estudos revelam que os homens circuncisados experienciam uma redução da sensação sexual, ou seja, diminuição da sensibilidade peniana, o que tem como consequência o aumento do tempo de latência ejaculatória.12

Apesar do aumento de tempo de ejaculação, existe a preocupação de que a circuncisão masculina diminua a função e satisfação sexual.12
A utilização de preservativo ajuda a retardar a ejaculação e faz com que a ereção dure mais tempo, no entanto, caso o homem sofra de ejaculação precoce, o preservativo não é tido como parte do tratamento e a disfunção sexual perlongar-se-á. Para encontrar tratamento para a ejaculação precoce, deve ser procurada a ajuda de um profissional de saúde.13
Existem diversos critérios que devem ser confirmados para ser diagnosticada ejaculação precoce:2
  • Incapacidade de atrasar a ejaculação em todas ou quase todas as ocasiões de atividade sexual, durante, pelo menos, 6 meses;
  • Angústia, incómodo ou frustração clinicamente significativa;
  • Evitar intimidade sexual;
  • Reduzida satisfação sexual.
Não é confirmado o diagnóstico se:8
  • Não tem relações sexuais há algum tempo quando isso acontece;
  • Quando o tempo que leva a atingir a ejaculação está no intervalo considerado normal.
Exame Médico

A ejaculação precoce requer um exame médico, durante o qual, especialmente, o trato genital masculino (próstata, testículos) é examinado.

Durante o exame, o médico presta especial atenção à avaliação da próstata e testículos.4

É também extremamente útil uma avaliação neurológica dos reflexos e dos outros sintomas, pois estes podem revelar uma condição de hipertiroidismo, reconhecida como uma causa de ejaculação precoce.4

Foi observado um índice de 50% de incidência de ejaculação precoce em pessoas com hipertireoidismo. Isso pode ser resolvido normalizando os níveis de hormonas tireoidianas.14-16

Exame Clínico

A ejaculação precoce é geralmente identificada com um simples exame clínico. Às vezes pode ser apropriado realizar alguns testes.

O exame clínico é geralmente suficiente para identificar a origem do problema da ejaculação precoce, que pode envolver um componente psicológico, em particular se a sua história pode ser enquadrada como ejaculação precoce primária (ocorreu desde as primeiras relações sexuais). No entanto, especialmente no caso de ejaculação precoce secundária, o médico pode considerar apropriado prescrever mais testes laboratoriais para avaliar possíveis distúrbios associados à ejaculação precoce.4

Os testes geralmente consistem numa análise de fluido seminal e urina, para verificar se não há infecção bacteriana (nesse caso, a análise incluirá um teste de susceptibilidade, para identificar o antibiótico mais eficaz para tratar a infecção) e ensaios hormonais relacionados a função tireoidiana (TSH).4

Caso o médico considere aconselhável, ele também pode requerer alguns procedimentos diagnósticos como:
  • Ultra-sonografia dos testículos;
  • Ultra-sonografia da próstata, por sonda transretal;
  • Biossensibilidade do pénis (para uma avaliação parcial da possível hipersensibilidade da glande).17-18
O tratamento para a ejaculação precoce pode ser feito de várias formas, já que esta disfunção pode ter na sua origem diferentes causas justificáveis.

Tratamento farmacológico

Creme e Spray para a ejaculação Precoce- Fortacin©, o único tratamento tópico aprovado no tratamento da ejaculação precoce.

A ejaculação precoce pode ser tratada com terapia local (spray anestésico local), como por exemplo Fortacin©, o único tratamento tópico aprovado no tratamento da ejaculação precoce, contento lidocaína e prilocaína. Este pode ser colocado na cabeça do pénis 5 minutos antes da relação, atrasando o desempenho do orgasmo sem alterar sua perceção.5;24

Fig.3 Administração Fortacin28

A eficácia clínica de Fortacin© no tratamento primário da ejaculação precoce, em homens adultos, foi avaliada em cinco estudos. Dentro da população geral de pacientes com ejaculação precoce, Fortacin© provou aumentar significativamente o tempo necessário para alcançar a ejaculação após a penetração e o controlo da ejaculação.25

Deve realçar-se que há vários anestésicos locais à venda, que não possuem uma indicação terapêutica explícita para o tratamento da ejaculação precoce. Portanto, consulte o seu médico de forma a obter aconselhamento sobre produtos especificamente aprovados para ejaculação precoce, apoiados em estudos adequados de eficácia e segurança.

Fortacin© tem indicação autorizada para a ejaculação precoce, e está disponível numa formulação de pulverização prática e discreta25

Terapia para Casais- Ejaculação Precoce na Vida do Casal

O tratamento da ejaculação precoce deve ser uma preocupação do casal e não apenas do indivíduo, como acontece com outros distúrbios sexuais.

Na definição do transtorno, que inclui “evitar a intimidade sexual” (ou seja, a tendência a evitar relações íntimas), destaca-se a importância de fatores relacionais no desenvolvimento dessa disfunção sexual.19

Se estiver numa relação de vários anos, procure a ajuda de um profissional e vá com a sua companheira. O terapeuta irá explorar questões de relacionamento e ajudar à resolução das mesmas. Para além disso, serão mostradas técnicas para retardar a ejaculação e ajudar o casal a ter uma vida sexual mais satisfatória.20

A parceira feminina pode ser “afetada” pelo sintoma tanto quanto o seu parceiro. Além disso, a “precocidade” está relacionada principalmente com ao fato de a ejaculação ocorrer antes que o parceiro alcance uma resposta adequada e satisfatória. Assim, a ejaculação precoce pode ser considerada um sintoma que envolve totalmente a mulher e, consequentemente, o casal.21

Muitos casais que têm este problema sexual, geralmente, esperam dois ou mais anos antes de pedir um aconselhamento profissional. Enquanto isso, o desconforto conjugal, secundário à ejaculação precoce, contribui, infelizmente, para piorar a disfunção sexual, como um círculo vicioso. Vice-versa, encontrar uma solução para o problema, poderia levar a um “círculo virtuoso”, ajudando tanto o indivíduo quanto o casal.21

Fig4. Círculo Vicioso da Disfunção Sexual.21

Embora se confirme a importância do envolvimento da mulher no tratamento da ejaculação precoce, a grande maioria dos homens que querem realizar o tratamento, não querem envolver a sua parceira.22
A ejaculação precoce pode melhorar também graças a um estilo de vida apropriado, destinado a reduzir o stress e a promover nutrição saudável e exercício físico.

Juntamente com a terapia medicamentosa, é importante realizar estilos de vida que impeçam os fatores que podem facilitar a ejaculação precoce e possíveis patologias subjacentes.21

Em primeiro lugar, o stress (que inclui libertação de adrenalina e ansiedade de desempenho) deve ser reduzido e a confiança na capacidade de controlo precisa de ser melhorada.21

O médico deve então recomendar um estilo de vida saudável, incluindo exercícios diários, dieta saudável, manutenção de peso normal (também útil para a auto-estima), abstenção de bebidas alcoólicas, tabaco e estupefacientes e descanso de noite apropriado.4; 6; 21

O álcool dá uma sensação enganosa de retardar o reflexo ejaculatório, melhorando o controlo apenas porque (temporariamente) reduz a ansiedade no desempenho.27
A ejaculação precoce tem que ser encarada com um diálogo aberto com o médico envolvendo homem e mulher. Algumas perguntas ajudarão a esclarecer a questão.

O primeiro passo para ajudar o doente e o casal a lidar com a questão é o diálogo com o clínico geral. Uma pergunta é suficiente: “Como está sua vida sexual?”. Se o homem acredita ser muito rápido, algumas perguntas ajudarão a entender se a questão é primária (desde o início da vida sexual) ou adquirida, eventualmente associada a outras desordens.6

Ao contar sua história, o doente, mas melhor ainda o casal, deve indicar:21
  • Quando a questão começou: esta data é importante para diferenciar uma ejaculação precoce primária, ocorrida desde a primeira relação sexual, desde a adquirida, desenvolvida após um período de vida sexual aparentemente satisfatório, com um tempo normal de ejaculação.
  • Se a questão é constante ou não: no primeiro caso é independente de outros fatores, no segundo caso (chamado “situacional”) pode depender do parceiro ou de outras circunstâncias.
  • Se a ejaculação prematura ocorrer antes da penetração vaginal (ante portas) ou depois (intra moenia).
  • Se estiver associada a outras questões da esfera sexual, como a disfunção erétil, a diminuição da líbido.
  • Se estiver associado a um já conhecido distúrbio de ansiedade.
O médico deve também prestar atenção às eventuais terapias concomitantes (com particular enfoque nos medicamentos que podem interferir nos tempos de ejaculação), em caso de sintomas e/ou registos relativos a distúrbios crónicos sistémicos (diabetes mellitus, doenças hepáticas, etc.), em caso de sintomas e/ou registos referentes a distúrbios endócrinos (hipertireoidismo) e em caso de sintomas e/ou registos referentes a inflamações urogenitais (prostatite, infecções urinárias).21

Em alguns casos, quando a ejaculação precoce ocorre apenas em situações particulares, pode ser necessária uma abordagem multidisciplinar (andrologista, terapeuta psicossexual).21
Fortacin® é uma associação de dois medicamentos (lidocaína e prilocaína), que proporciona uma anestesia tópica à glande do pénis.1-2

Fortacin® é um medicamento sujeito a Receita Médica e não Comparticipado.

Fig5. Aplicação Fortacin®.

As substâncias ativas: lidocaína e a prilocaína, são prontamente absorvidas através da membrana mucosa da glande do pénis (mas não através da pele queratizada normal), bloq ueando de forma reversível a transmissão de impulsos nervosos na glande do pénis, reduzindo a sua sensibilidade.1-2

Para que é utilizado Fortacin®?

Fortacin® está indicado para o tratamento da ejaculação precoce crónica em homens adultos. O seu modo de funcionamento consiste em diminuir a sensibilidade da glande peniana de modo a aumentar o tempo até à ejaculação.1-2

Após a aplicação do Fortacin® na mucosa da glande do pénis:
  • Mantém-se uma sensação plena na zona restante do pénis;
  • A sensação de penetração continua a ser desfrutada enquanto o tempo de latência é prolongado.
Como utilizar Fortacin®?

Utilize este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.2

A dose recomendada de Fortacin® é de 3 pulverizações (3 pulverizações = 1 dose) na cabeça do pénis antes da relação sexual. É possível aplicar um máximo de 3 doses num período de 24 horas, com pelo menos 4 horas de intervalo entre as doses.2
  • Antes da primeira utilização, agite brevemente o recipiente e, de seguida, expurgue o mecanismo da bomba carregando na válvula e pulverizando-a três vezes para o ar. Aponte o recipiente para longe do rosto, para evitar o contacto com os olhos, nariz, boca e ouvidos;
  • Antes de cada dose subsequente, agite brevemente o recipiente pulverizador e, de seguida, expurgue novamente a bomba pulverizando-a uma vez para o ar;
  • 3. Puxe o prepúcio para trás da cabeça do pénis. Segurando a lata na vertical (com a válvula para cima), aplique 1 dose (3 pulverizações) de Fortacin® em toda a cabeça do pénis, cobrindo um terço em cada pulverização;
  • Aguarde 5 minutos e elimine qualquer solução pulverizada em excesso, antes de uma relação sexual. É importante que limpe qualquer solução pulverizada em excesso mesmo que utilize preservativo (ver também a secção 2 para mais informações importantes sobre a utilização com preservativos).
Como conservar Fortacin®?

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.2

Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso no rótulo do recipiente pulverizador e embalagem exterior, após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.2

Não conservar acima de 25 ºC. Não congelar. É necessário eliminar o recipiente 12 semanas após a primeira utilização do mesmo.2

O recipiente de metal está pressurizado. Não perfure, quebre ou queime o recipiente, mesmo quando aparentemente vazio.2

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.2

Referências:

1.Fortacin: Resumo das Características do Medicamento e Folheto Informativo
2.Henry R, Morales A & Wyllie MG. Expert Opin. Drug Deliv. 2008 5(2):251-261

FORTACIN® (lidocaína/prilocaína) – Medicamento não sujeito a receita médica, indicado no tratamento da ejaculação precoce primária em homens adultos. Fortacin® está contraindicado em caso de hipersensibilidade do doente ou do(a) parceiro(a) às substâncias ativas ou a qualquer um dos excipientes e doentes ou parceiros(as) com antecedentes conhecidos de sensibilidade a anestésicos locais do tipo amida. Precauções especiais nos seguintes tipos de doentes: estados relacionados com a anemia, doentes a tomarem medicamentos antiarrítmicos e doentes com insuficiência hepática grave. Deve ser interrompido aos primeiros sinais de hipoestesia dos genitais masculinos, disfunção erétil, sensação de ardor genital e no caso de sensação de ardor vulvovaginal, hipoestesia nas parceiras do sexo feminino bem como no caso de outras manifestações de hipersensibilidade. Ler cuidadosamente as informações constantes do acondicionamento secundário e do folheto informativo e, em caso de dúvida ou de persistência dos sintomas, consultar o seu médico ou farmacêutico

Descobre se precisas de uma mãozinha para durar mais tempo.

Referências:

1. Barros de Francischi, F., Cernach Ayres, D., Eidi Itao, R., Cesar Fava Spessoto, L., Germano Ferraz de Arruda, J., & Nestor Facio Junior, F. (2011). Ejaculação precoce: existe terapia eficiente? Premature ejaculation: is there an efficient therapy? (Vol. 9, Issue 4).
2. Serefoglu, E. C., Mcmahon, C. G., Waldinger, M. D., Althof, S. E., Shindel, A., Adaikan, G., Becher, E. F., Dean, J., Giuliano, F., Hellstrom, W. J. G., Giraldi, A., Glina, S., Incrocci, L., Jannini, E., Mccabe, M., Parish, S., Rowland, D., Segraves, R. T., Sharlip, I., & Torres, L. O. (2014). An Evidence-Based Unified Definition of Lifelong and Acquired Premature Ejaculation: Report of the Second International Society for Sexual Medicine Ad Hoc Committee for the Definition of Premature Ejaculation. In Sexual Medicine (Vol. 2, Issue 2, pp. 41–59). Blackwell Publishing Ltd.
3. Wei, S., Wu, C., Yu, B., Ma, M., Qin, F., & Yuan, J. (2020). Advantages and limitations of current premature ejaculation assessment and diagnostic methods: A review. In Translational Andrology and Urology (Vol. 9, Issue 2, pp. 743–757). AME Publishing Company.
4. Criteri di appropriatezza strutturale, tecnologica e clinica nella prevenzione, diagnosi e cura delle patologie andrologiche. Quaderni del Ministero della Salute. 2012;13.
5. What is Premature Ejaculation? (2020). Urology Care Foundation.
6. Graziottin A, Jannini EA. Eiaculazione precoce (EP): definizione, diagnosi e terapia. Momento medico ed., 2014.
7. Kirby EW, Carson CC, Coward RM. Tramadol for the management of premature ejaculation: a timely systematic review. Int J Impot Res 2015;27(4):121-7.
8. Premature ejaculation: Overview. (2019). [Institute for Quality and Efficiency in Health Care (IQWiG)]. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK547548/
9. Symonds T, et al. Development and validation of a premature ejaculation diagnostic tool. Eur Urol 2007; 52:565-573.
10. Afif-Abdo, J., Abdo, H. N., & Abdo, C. H. N. (2013). Abordagem e Tratamento da ejaculação Precoce. www.urologiaessencial.org.br
11. Premature ejaculation. (2019). Better Health Channel. https://www.betterhealth.vic.gov.au/health/healthyliving/premature-ejaculation
12. Krieger, J. N., Mehta, S. D., Bailey, R. C., Agot, K., Ndinya-achola, J. O., Parker, C., & Moses, S. (2008). Adult male circumcision: Effects on sexual function and sexual satisfaction in Kisumu, Kenya. Journal of Sexual Medicine, 5(11), 2610–2622.
13. Young, R. D. (2019). Myths and facts about male condoms. International Planned Parenthood Federation. https://www.ippf.org/blogs/myths-and-facts-about-male-condoms
14. Corona G, Petrone L, Mannucci E, et al. Psycho‐biological correlates of rapid ejaculation in patients attending an andrologic unit for sexual dysfunctions. Eur Urol 2004;46:615-22.
15. Carani C, Isidori AM, Granata A, et al. Multicenter study on the prevalence of sexual symptoms in male hypo- and hyperthyroid patients. J Clin Endocrinol Metab 2005;90:6472-9.
16. Corona G, Jannini EA, Vignozzi L, Rastrelli G, Maggi M. The hormonal control of ejaculation. Nat Rev Urol 2012;9:508-19.
17. Xin ZC et al. Penile sensitivity in patients with primary premature ejaculation. J Urol 1996;156:979-81.
18. Meares EM. Bacteriologic localization patterns in bacterial prostatitis and urethritis. Invest Urol 1968;5:492-518.
19. Rosen RC et al. Correlates to the clinical diagnosis of premature ejaculation: results from a large observational study of men and their partners. J Urol 2007; 177:1059-64.
20. Ejaculation problems. (2019). NHS. https://www.nhs.uk/conditions/ejaculation-problems/
21. Jannini EA, Nollaioli D, Ciocca G, Limoncin E. Ansia e depressione sono cause o conseguenze dell’eiaculazione precoce? Mediserve Ed., 2015
22. Graziottin A et al. What does premature ejaculation mean to the man, the woman, and the couple? J Sex Med 2011;8(Suppl.):304-9.
23. Limoncin E, et al. Premature ejaculation results in female sexual distress standardization and validation of a new diagnostic tool sexual distress, the FSDS-R-PE. J Urol 2013;189[5]:1830-1835.
24. Treatment guidelines EAU PE, 2017
25. Dinsmore WW, Wyllie MG, PSD5802, BJU Int. 2009 Apr;103(7):940-9
26. Treatment guidelines EAU PE, 2017
27. Porst H, et al. The Premature Ejaculation Prevalence and Attitudes (PEPA) survey: prevalence, comorbidities, and professional help-seeking. Eur Urol 2007; 51 (3): 816-23.
28. RCM e Folheto Informativo Fortacin

Ref.: 197/2020 | MP 11/2020